Google+ Followers

terça-feira, 25 de outubro de 2016



Poema da fascinação

Vou a Ti
Como quem vai,
Antes e depois da Morte,
Para onde lhe ordena o Destino...
Vou a Ti,
Seguindo a luz dos teus olhos,
Subindo por ela,
Caminhando pelo teu olhar
Como uma escadaria d’astros...
O teu vulto,
Lá em cima,
É um palácio branco, a atrair-me...
Quando chegarei,
Ó Eleito,
Diante de Ti?
Quando descerrarás
As tuas portas de luz,
Para receberes
Os lírios e as rosas odorantes
Que andei colhendo
Para te ofertar?
Não demores, não tardes,
Ó Eleito,
Que eu vou a Ti
Como quem vai,
Antes e depois da Morte,
Para onde lhe ordena o Destino...

Poema do regresso

Eleito, ó Eleito!
Era, então, aqui embaixo

Que estavas?..

Cecília Meireles