Google+ Followers

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

A obra, o homem a redescobrir...Virgílio Ferreira


Virgílio Ferreira - Parabéns Poeta




Virgílio Ferreira

28 Janeiro 1916 // 1 Março 1996



Que Há para Lá do Sonhar?



Céu baixo, grosso, cinzento
e uma luz vaga pelo ar
chama-me ao gosto de estar
reduzido ao fermento
do que em mim a levedar
é este estranho tormento
de me estar tudo a contento,
em todo o meu pensamento
ser pensar a dormitar.

Mas que há para lá do sonhar?

Vergílio Ferreira

terça-feira, 19 de janeiro de 2016




Quem me dera ser




Quem me dera ser para sempre viajante na quietude,
absorver a luz solar em silêncio,
flutuar na água andar à deriva
sem que nada disso fosse diferente do estado normal 
Quem dera sentir que estou num qualquer ventre,
quente e alaranjado onde me aninho e espero 
Quem me dera ser árvore, ser gota ser seiva
e permanecer assim sem aparente vontade própria 
Quem me dera ser sussurro, búzio do mar, devagarinho
ganhando forma com o tempo sem qualquer expectativa
Ser areia brilhante, quente e inerte, 
que ainda assim se move e volta a estar muito próximo de algum lugar
Quem me dera ser luz, 
que espera em permanência indiferente à velocidade,
ao som a qualquer turbulência, que partícula essa, enfim



Graça Amorim



Eugénio de Andrade - Parabéns Poeta





Eugénio de Andrade

19 de Janeiro de 1923 // 13 de Junho 2005



“Sê paciente; espera
que a palavra amadureça
e se desprenda como um fruto
ao passar o vento que a mereça….”

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

David Bowie, descanse em Paz...

Al Berto - Parabéns Poeta


 Resultado de imagem para alberto raposo pidwell tavares


Al Berto

11 Janeiro 1948 // 13 Junho 1997




A Invisibilidade de Deus

…”dizem que em sua boca se realiza a flor
outros afirmam:
a sua invisibilidade é aparente
mas nunca toquei deus nesta escama de peixe
onde podemos compreender todos os oceanos
nunca tive a visão de sua bondosa mão…” 





domingo, 10 de janeiro de 2016

DESIDERATA





Siga tranquilamente entre a inquietude e a pressa,
lembrando-se de que há sempre paz no silêncio.
Tanto quanto possível sem humilhar-se,
mantenha-se em harmonia com todos que o cercam.
Fale a sua verdade, clara e mansamente.
Escute a verdade dos outros, pois eles também têm a sua própria história.
Evite as pessoas agitadas e agressivas: elas afligem o nosso espírito.
Não se compare aos demais, olhando as pessoas como superiores ou inferiores a você: isso o tornaria superficial e amargo.
Viva intensamente os seus ideais e o que você já conseguiu realizar.
Mantenha o interesse no seu trabalho,
por mais humilde que seja,
ele é um verdadeiro tesouro na continua mudança dos tempos.
Seja prudente em tudo o que fizer, porque o mundo está cheio de armadilhas.
Mas não fique cego para o bem que sempre existe.
Em toda parte, a vida está cheia de heroísmo.
Seja você mesmo.
Sobretudo, não simule afeição e não transforme o amor numa brincadeira,
pois, no meio de tanta aridez, ele é perene como a relva.
Aceite, com carinho, o conselho dos mais velhos
e seja compreensivo com os impulsos inovadores da juventude.
Cultive a força do espírito e você estará preparado
para enfrentar as surpresas da sorte adversa.
Não se desespere com perigos imaginários:
muitos temores têm sua origem no cansaço e na solidão.
Ao lado de uma sadia disciplina conserve,
para consigo mesmo, uma imensa bondade.
Você é filho do universo, irmão das estrelas e árvores, 
merece estar aqui e, mesmo que você não perceba,
a terra e o universo vão cumprindo o seu destino.
Procure, pois, estar em paz com Deus,
seja qual for o nome que você lhe der.
No meio do seu trabalho e nas aspirações, na fatigante jornada pela vida,
conserve, no mais profundo do seu ser, a harmonia e a paz.
Acima de toda mesquinhez, falsidade e desengano,
o mundo ainda é bonito.
Caminhe com cuidado, faça tudo para ser feliz
e partilhe com os outros a sua felicidade".


Max Ehrmann





domingo, 3 de janeiro de 2016

Vasco Graça Moura - Parabéns Poeta


Resultado de imagem para vasco graça moura

Vasco Graça Moura 

3 de Janeiro 1942// 27 de Abril 2014


"um poeta é alguém que ensina a ver"




Lamento para a língua portuguesa


“não és mais do que as outras, mas és nossa,
e crescemos em ti. nem se imagina
que alguma vez uma outra língua possa
pôr-te incolor, ou inodora, insossa,
ser remédio brutal, mera aspirina,
ou tirar-nos de vez de alguma fossa,
ou dar-nos vida nova e repentina.
mas é o teu país que te destroça,
o teu próprio país quer-te esquecer
e a sua condição te contamina
e no seu dia-a-dia te assassina.
mostras por ti o que lhe vais fazer:
vai-se por cá mingando e desistindo,
e desde ti nos deitas a perder
e fazes com que fuja o teu poder
enquanto o mundo vai de nós fugindo”….