Google+ Followers

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015




Liberdade



Por vezes a poesia voa mais longe
perde-se no infinito deixa-me sozinha
E os meus olhos descem à terra
entre seiva e raízes reajustam a visão
Perséfone renasce
No âmago da escuridão,
nascente da  luz vibrante,
a poesia retorna
na liberdade nunca perdida

A.



Hallelujah (Alelujah)

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Sorri à vida




Sorri à vida
Não vês que ela por ti passa?
Sorri à vida
E dá-lhe um ar da tua graça!

 (refrão)

Trago para ti uma mensagem d'esperança
Pára e vê o doce olhar dessa criança.
Não temas se tropeças e voltas a cair.
Viver é mesmo assim
Logo a chorar, agora a rir.

Sorri à vida
(refrão) 

Mas se a chuva cai e te deixa deprimido
Pensa que sem ela nada mais terá sentido.
Se ela não caísse não haveria limpeza.
Pensa mais um pouco
E preserva a natureza

Sorri à vida
(refrão)

Pára de andar triste, começa a ficar contente.
O que agora é mau, logo mais é diferente.
Pára e vê como aquela flor nasceu.
Foi para te agradar
Que ela viveu.

Sorri à vida
(refrão)

Maria Elisa Flora


E o Outono chega ao fim...El Otoño de García Lorca


terça-feira, 15 de dezembro de 2015




…uma das mais bonitas fotografias mentais que guardo é o campo de milhares flores pequeninas e amarelas perto da quinta dos meus avós, que costumava visitar quando era pequena. para mim, esta imagem continua a ser a visão de mil sóis pequeninos espalhados por um campo infinito de flores…

que lindo seria ver múltiplos sóis pisarem a terra;
um jardim que brilha em eternos sóis de flores…
um mar que brilha em eternos sóis de água…

milhões de pessoas a brilhar em eternos corações de sóis!
milhões de corações a iluminar o mundo! como o sol!
que bonito seria
caminhar no meio de jardins de sóis,
ao lado de mares de sóis e
caminhar na eternidade
como um pequeno coração de sol,
com outros milhões de sóis
a brilhar em raios de luz e amor
para sempre.







domingo, 6 de dezembro de 2015



Acerca a tua mão da minha...
Não me adorem, caminhem a meu lado…
Altar?..... Apenas me recolho ao vosso coração
Sentirei o vosso amor, nos olhos, onde os vossos se espelhem
Dor? Porque teimais em manter-me preso a ela, se dela vos libertei!
Da cruz renasci, em templos nunca me vi não sou gesso ou tela pintada!

Sou a Água da Vida que corre em ti
Sou o brilho do teu olhar quando sorris
Sou o arco da tua mão quando dás
Sou o calor do teu gesto de amor

Eu Sou, sempre em Ti – Não te esqueças Tu de Mim

Yeshua



do livro: Hieróglifos do Cosmos