Google+ Followers

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013


POEMA AO ANO NOVO

                                                                                 

                        Fina d’Armada

 

 

Já lá vem, já lá vem o Ano Novo!

O Ano Novo já lá vem, já lá vem!

 

Brotam das águas em explosão raios de fogo.

Sobem lírios que no céu se tornam rosas,

fica iluminada e colorida a multidão.

Cabeças se volvem para as estrelas como rezando,

gritos de espanto e de alegria vão soltando.

Rebenta uma rolha, estoira o vinho, a espuma voa.

Champanhe entra em bocas abertas de euforia.

Engolem-se passas, formulam-se votos, doze desejos

ao som de estalidos em festa, sonhos e beijos.

 

Já lá vem, já lá vem o Ano Novo,

já lá vem anunciando a madrugada!

Das águas emergem novas girândolas florindo

nascidas da criação da mão humana.

Os olhos sobem com os foguetes às alturas

que se abrem, rodopiam, desabrocham

em lágrimas azuis, cor do sol e vermelhas

ora a explodir ora a murchar como centelhas.

 

Já lá vem, já lá vem o Ano Novo!

Já lá vem um novo ano de mansinho!

Marcha o tempo, marcha a vida devagarinho.

 

Já lá vêm lembranças e amarguras,

novos pedidos aos céus iluminados.

Um bater de corações, um sonhar com a riqueza

envoltos em medo do porvir e incerteza.

 

Marcha o fogo para o fim… E emudece.

Na noite atroa o som de bater de palmas.

Já chegou, já chegou o Ano Novo,

já lá vai, já lá vai embora o povo.

É a vez da esperança renascer nas almas.

                                  

                                                           (Parque das Nações, Lisboa, Ano Novo de 2012)

 
Fina d’Armada

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Há dias assim…….



Que começam em glória e em glória terminam

Desde cedo, manhãzinha, os luzeiros vais cruzando

Com trabalho enobreces, com mil lições enriqueces


Raios de um Sol oculto, apenas sentes o calor

São suaves, são firmes, e desfazem-se em amor

E nesses raios dourados, viajas em esplendor


Se cada Ser é um espelho, para o outro se rever

Na minha Alma aceito, o reflexo da vossa Luz

Estrelas brilharam de dia,… neste dia de glória.


E porque há dias assim, expresso a minha gratidão aos Seres que abençoaram o meu dia, desde cedo, manhãzinha…


8 de Dezembro 2013
 


Maria Adelina



A Música do Coração


 

 
Arabescos d`oiro e cristal

Entrelaçam-se numa pauta

Linha acima, linha abaixo

Em vénias de encantar

 

Tem vida, tem cor

Tem emoção e amor

Tem força tem fantasia

Não tem asas mas sabe voar

 

Não é sonho nem é pássaro

Mas em rítmico embalar

Pelas estepes do Céu

Permite-nos viajar                 

 

Vibra, em tudo o que é vida

Nas profundezas do mar

Na pedra, planta, flor

Na criança por nascer

 

 

A.