Google+ Followers

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

RE_Começar - Maria Adelina - Recomeços


RE_ Começar

Há gente onde a ternura chega
e a reflecte como água límpida
palavras agregadas na mesma barca
que vogam rio abaixo como mensageiros de paz

Outros há que afundam velas e veleiros
meteoros perdidos na espiral da vida
no destino que os gravita, em queda
crateras, leitos de rio… quiçá um dia

Há os que desenho em traço largo
quanto mais largo mais fundo
deuses inventados
baixo-relevo na alma inquieta
e as tempestades lavam o barro
tapam ruínas destapam horizontes
e há o tempo,  
apagador da lousa da vida

Porque há sempre um recomeço
Na dança entre a onda e a maré
Na paisagem oculta por um sol moribundo
Nas páginas de um livro esquecido
No sorriso, retribuído,
aos olhos que me lêem


Maria Adelina