Google+ Followers

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Minha Voz








Minha Voz







Minha voz faz-se canto quando fala de ti
Voa mais alto, torre, águia, tempestade
Sol de meia-noite, auroras, utopias
Chuva no deserto

Inspiração é pomba que esvoaça
Vento de mar, teu perfume

Na palavra construo catedrais
De dia cílios ardentes
De noite estrelas cadentes
Em alva pedra, altar

O bem-querer é o astrolábio
Das naus perdidas nos céus

Na penumbra em que afirmas
Tuas raízes à deriva
Sou nascente e foz de um rio
Há mil anos a desaguar em ti

Sem carvão ou grafite
Desenho teu nome na luz


Maria de Jesus