Google+ Followers

segunda-feira, 27 de junho de 2016





LIVRO 

Uma ideia longínqua, como névoa distante,
Vem crescendo na memória
E depois outra se lhe junte, e outra, e outra,
Como um rebanho de muitas ovelhas…

E o pastor no alto da montanha
Olha para as suas ideias
E conhece cada uma delas pelo nome.

E defende-as dos lobos
E dos muitos caminhos que dão para lado nenhum
E recolhe a melhor lã no seu olhar
E o leite dos seus úberes em silêncio…

E depois, sereno e grande,
Retira a sua flauta da sacola
E faz nascer os puros sons escritos
Comendo no papel seus carreirinhos de formigas

E o livro nasce e o milagre acontece
E sempre que alguém o folhear
Um rebanho de ideias voará
Como se fosse espalhado pelo vento…  


A. Alves Cardoso