Google+ Followers

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Um Lugar ( para o 13 de Maio )






UM LUGAR

O coração de uma mulher é um lugar.
No centro, no agasalho das asas, é o lugar dos filhos
Nesse lugar dos mil sois
Com janelas para o mar
Onde pousam as aves
Para aprenderem a direção do voo.

O coração de uma mãe é uma casa
Sem sombras, sem ventanias
Um rio manso com margens humedecidas
De tantos beijos, de muito sono e risos.
É um berço, uma barca com finas velas
Abrindo as águas, claras, da madrugada.

O coração de uma mãe é um livro branco
Que a sua mão invisível vai escrevendo
Com palavras redondas de silêncio.

A mãe caminha, silenciosa, pela lua
Desce, vagarosa, as escadas da alma
E chega ao lugar dos filhos, ao coração
Senta-se no centro, abre as janelas, rega os lírios
Ajeita os folhos das cortinas que as alegram.

A mãe caminha, silenciosa, pela poesia
Sem rima, sem métrica
E sonha nos versos e nas melodias
Bordadas por ela.

E quando uma ferida sulca, abruptamente
Escondendo do seu olhar a estrela-cadente
Ela arqueia-se
Frágil violeta carregada do choro da tempestade.

Nesse instante, como ave suplicante
Leva a lágrima surda para dentro de si
Para o centro do coração
E volta com olhos limpos
Para que nunca se cansem
De olhar para a abundância das rosas.


Anabela Coelho