Google+ Followers

domingo, 13 de março de 2016

Chuva Peregrina





Chuva peregrina

Regas os sulcos da madrugada
Ritmadas gotas de cristal
Manta de orvalho prateada
Aconchego do sono perdido
Voz de mansidão e fantasia
Teces hinos fecundos
Caules que florescem
No solo que germina
Sol, Lua, manto estelar
Saudade de um olhar
Véu de chuva fina que adoça o caminhar
Sinfonia do ser, gratidão, alegria
Amada chuva...peregrina...


A.